TÓPICO ESPECIAL: ADULTÉRIO (ÊXODO 20.14)

I. Contexto

A. É óbvio que o mandamento está relacionado com o respeito de alguém por Deus que é visto no respeito pela vida, esposa e propriedade do próximo de alguém (cf. Jr 5.8). Isto é verificado pela ordem diferente destes comandos na Septuaginta.

B. O paralelo deuteronômico mostra a propriedade de adotar esta verdade antiga para a nossa cultura.

C. Como o respeito pelos pais era visto como uma chave para uma sociedade estável, assim também, é este mandamento.

D. Este mandamento também implica que a propriedade e controle de Deus das vidas sexual e familiar.

II. Estudo de Palavra

A. O termo importante nesse contexto é adultério (ךאב, BDB 610). É crucial que você entenda este termo à luz da cultura hebraica antiga.

1. Este termo é distinto num contexto do AT de "fornicação”. Adultério relaciona com pelo menos uma parte no relacionamento sexual sendo casada. O termo "fornicação” implica que ambas as partes não são casadas (cf. Pv 29.3; 31.3). A distinção é perdida nos termos gregos do NT.

2. Esta possibilidade explica a razão para ênfase no estado civil porque se relaciona com a importância dos direitos de herança, que estavam envolvidos na promessa de Deus "da terra”. A cada cinqüenta anos (Jubileu) toda terá devia reverter aos proprietários tribais originais.

3. Adultério era culturalmente condenado antes da legislação mosaica (cf. Gn 12.10ss; 26.7ss; 39.9).

4. Adultério era visto como um pecado contra

a. o próximo – Êx 20.14; Dt 5.18

b. o casamento – Lv 18.20

c. Deus – Gn 20.2-13; 26.7-11

5. Era punível pela morte de ambas as partes

a. Lv 20.10

b. Dt 22.22-24

c. Ez 16.40 (metáfora)

d. Advertências severas são encontradas em Provérbios 1-9

III. Relação com o Novo Testamento

A. Jesus usou Lv 19.18 como um resumo da Antiga Revelação (cf. Lucas 10.27). Isto confirma que os Dez Mandamentos estão relacionados com os tratamentos dos outros.

B. Jesus intensifica o mandamento em Mt 5.28. Ele coloca a ênfase no motivo em vez da ação. Jesus via a mente como a sementeira da alma. O que alguém era o que alguém realmente era! (Pv 23.7). Isto torna As Dez Palavras quase impossíveis de guardar – esse é o propósito! (cf. Gl 2.15-3.29).

IV. Aplicação Moderna

A. Casamento é possivelmente a melhor analogia de um compromisso de fé que dura a vida inteira no nome de Deus. É a nossa melhor chance para compreender as realidades dos conceitos da aliança do AT (Ml 2.14). Nosso respeito por nosso parceiro em todos os aspectos, incluindo a sexualidade, ajuda-nos compreender a idéia fundamental deste versículo.

B. Estabilidade e lealdade do casamento, como respeito pelos pais, é o pilar principal da força e longevidade da sociedade.

C. Necessita ser enfatizado que a sexualidade humana é um presente de Deus. Foi Sua idéia e vontade para a humanidade. As diretrizes não são destinadas a impedir a liberdade ou alegria da humanidade, mas para dar algumas diretrizes piedosas para a humanidade caída. Os limites são revelados para nosso beneficio e felicidade a longo prazo. Embora a humanidade tenha abusado da sexualidade, como eles têm de todos os dons de Deus, é ainda um dispositivo poderoso dentro da humanidade que deve estar sob o controle e direção de Deus.

D. Sexo deve ser guardado de modo que a sacralidade da pessoa humana (macho e fêmea) seja respeitada porque eles são feitos à imagem de Deus (Gn 1.26, 27). Nosso foco caído sobre "mim” é tudo óbvio demais nesta área.