TÓPICO ESPECIAL: ALIANÇA

O termo do AT berith (BDB 136, KB 157), “aliança”, não é fácil de definir. Não há nenhum VERBO correspondente em hebraico. Todas tentativas para derivar uma definição etimológica ou cognata tem se revelado inconvincente. Possivelmente, o melhor palpite é "cortar" (BDB 144), denotando o sacrifício de animais que acompanhava as alianças (cf. Gn 15: 10,17). Entretanto, a centralidade óbvia do conceito tem forçado os estudiosos a examinar o uso da palavra para tentar determinar seu significado funcional.

Aliança é o meio pelo qual o único Deus verdadeiro (ver Tópico Especial: Monoteísmo) lida com Sua criação humana. O conceito de aliança, tratado ou acordo é crucial ao compreender a revelação bíblica. A tensão entre a soberania de Deus e o livre-arbítrio humano é claramente vista no conceito de aliança. Algumas alianças são baseadas exclusivamente no caráter e ações de Deus.

1. a própria criação (cf. Gênesis 1-2)

2. a chamada de Abraão (cf. Gênesis 12)

3. a aliança com Abraão (cf. Gênesis 15)

4. a preservação e promessa a Noé (cf. Gênesis 6-9)

Entretanto, a natureza exata da aliança exige uma resposta.

1. pela fé Adão deve obedecer a Deus e não comer da árvore no meio do Éden

2. pela fé Noé deve construir um barco enorme longe de água e reunir aos animais

3. pela fé Abraão deve deixar sua família, seguir a Deus e acreditar nos futuros descendentes

4. pela fé Moisés tirou os israelitas do Egito ao Mt. Sinai e recebeu diretrizes específicas para a vida religiosa e social com promessas de bênçãos e maldições (cf. Deuteronômio 27-28)

Esta mesma tensão envolvendo o relacionamento de Deus com a humanidade é dirigida na "nova aliança” (cf. Jer. 31.31-34; Hebreus 7.22; 8.6, 8, 13; 09.15; 12.24). A tensão pode ser claramente vista ao comparar Ezequiel 18 com Ez 36.27-38 (Ação de YHWH). A aliança é baseada nas ações graciosas de Deus ou na resposta humana ordenada? Esta é a questão intensa da Antiga Aliança e da Nova. As metas de ambas são as mesmas:

1. a restauração da comunhão perdida em Gênesis 3

2. o estabelecimento de um povo justo que reflita o caráter de Deus.

A nova aliança de Jr 31.31-34 resolve a tensão removendo o desempenho humano como meio de alcançar aceitação. A lei de Deus se torna um desejo interno em vez de um código de lei externo. A meta de um povo piedoso, justo permanece a mesma, mas a metodologia muda. A humanidade caída revelou-se inadequada para ser a imagem refletida de Deus. O problema não foi a aliança, mas a pecaminosidade e fraqueza humana (cf. Romanos 7; Gálatas 3).

A mesma tensão entre as alianças incondicional e condicional do AT permanece no NT. Salvação é absolutamente gratuita na obra consumada de Jesus Cristo, mas ela exige arrependimento e fé (tanto inicialmente quanto continuamente, ver Tópico Especial: Acredite no NT). Jesus chama Sua nova relação com os crentes "uma nova aliança" (cf. Mt 26.28; Marcos 14.24; Lucas 22.20; 1 Cor. 11.25). É tanto um pronunciamento legal (forense) quanto uma chamada para semelhança com Cristo (cf. Mateus 5.48; Rm. 8.29-30; 2 Coríntios 3.18; 7.1; Gl 4.19; Ef. 1.4; 4.13; 1 Tessalonicenses 3.13; 4.3, 7; 5.23; 1 Pe 1.15), uma declaração indicativa de aceitação e um imperativo para santidade (Mateus 5.48)! Os crentes não são salvos por seu desempenho, mas para obediência (Ef 2.8-10; 2 Cor. 3,5-6). Viver piedoso torna-se a evidência de salvação, não o meio de salvação (isto é, KJB e João 1). No entanto, a vida eterna tem características observáveis! Esta tensão é claramente vista nos avisos no NT (veja Tópico Especial: Apostasia).



Copyright © 2014 Bible Lessons International