TÓPICO ESPECIAL: ATITUDES BÍBLICAS PARA COM O ÁLCOOL E O ALCOOLISMO

I. Termos Bíblicos

A. Antigo Testamento

1. Yayin – Este é o termo geral para vinho (BDB 406), que é usado 141 vezes. A etimologia é incerta porque não é de uma raiz hebraica. Sempre significa suco de fruto fermentado. Algumas típicas são Gn 9.21; Êx 29.40; Nm 15.5, 10.

2. Tirosh – Isto é "vinho novo” (BDB 440). Por causa das condições climáticas do Oriente Próximo, a fermentação começava logo seis horas depois de extrair-se o suco. Este termo refere-se ao vinho no processo de fermentação. Para algumas passagens típicas veja Dt 12.17; 18.4; Is 62.8, 9; Os 4.11.

3. Asis – Isto é obviamente bebidas alcoólicas ("vinho doce”, BDB 779, Joel 1.5; Is 49.26).

4. Sekar – Este é o termo "bebida forte” (BDB 1016). A raiz hebraica é usada no termo "embriagado” ou "bêbado”. Tinha algo acrescentado a ele para torná-lo mais intoxicante. É paralelo a yayin (cf. Pv 20.1; 3.16; Is 28.7).

B. Novo Testamento

1. Oinos – o equivalente grego de yayin

2. Neos oinos (vinho novo) – o equivalente de tirosh (cf. Marcos 2.22).

3. Gleuchos vinos (vinho doce, asis) – vinho nos primários estágios de fermentação (cf. Atos 2.13).

II. Uso Bíblico

A. Antigo Testamento

1. O vinho é um presente de Deus (Gn 27.28; Sl 104.14, 15; Ec 9.7; Os 2.8, 9; Joel 2.19, 24; Amós 9.13; Zc 10.7).

2. O vinho é uma parte de uma oferta sacrificial (Êx 29.40; Lv 23.13; Nm 15.7, 10; 28.14; Dt 14.26; Jz 9.13).

3. O vinho é usado como remédio (II Sm 16.2; Pv 31.6, 7).

4. O vinho pode ser um problema real (Noé – Gn 9.21; Ló – Gn 19.33, 35; Nabal – I Sm 25.36; Urias – II Sm 11.13; Amom – II Sm 13.28; Elá – I Rs 16.8; Ben-Hadade – I Rs 20.12; Governantes – Amós 6.6; e Mulheres – Amós 4).

5. O vinho pode ser mal usado (Pv 20.1; 23.29-35; 31.4, 5; Is 5.11, 22; 19.14; 28.7, 8; Oséias 4.11).

6. O vinho era proibido para certos grupos (sacerdotes na função, Lv 10.9; Ez 44.21; Nazireus, Números 6; e governantes, Pv 31.4, 5; Is 56.11, 12; Oséias 7.5).

7. O vinho é usado num cenário escatológico (Amós 9.13; Joel 3.18; Zc 9.17).

B. Interbíblico

1. O vinho em moderação é muito útil (Eclesiástico 31.27-30)

2. Os rabinos dizem, "O vinho é o maior de todos os remédios, onde o vinho está em falta, logo medicamentos são necessários”. (BDB 58b).

C. Novo Testamento

1. Jesus transformou uma grande quantidade de água em vinho (João 2.1-11).

2. Jesus tomou vinho (Mt 11.18, 19; Lucas 7.33, 34; 22.17sss).

3. Pedro acusado de embriaguês de "vinho novo” no Pentecostes (Atos 2.13).

4. O vinho pode ser usado como remédio (Marcos 15.23; Lucas 10.34; I Tm 5.23).

5. Os líderes não devem ser abusadores. Isto não significado abstêmios totais (I Tm 3.3, 8; Tito 1.7; 2.3; I Pe 4.3).

6. O vinho é usado em cenários escatológicos (Mateus 22.1ss; Ap 19.9).

7. A embriaguês é deplorada (Mt 24.49; Lucas 12.45; 21.34; I Co 5.11-13; 6.10; Gl 5.21; I Pe 4.3; Rm 13.13, 14).

III. Percepção Teológica

A. Tensão dialética

1. O vinho é o presente de Deus.

2. A embriaguês é um problema muito importante.

3. Os crentes em algumas culturas devem limitar suas liberdades por causa do evangelho (Mt 15.1-20; Marcos 7.1-23; I Coríntios 8-10; Romanos 14).

B. Tendência para ir além dos limites dados

1. Deus é a fonte de todas as coisas boas.

a. comida - Marcos 7:19; Lucas 11:44; 1 Cor. 10: 25-26

b. todas as coisas limpas - Rom. 14: 14,20; 1 Tim. 4: 4

c. todas as coisas legais - 1 Cor. 06:12; 10:23

d. todas as coisas puras - Tito 1:15

2. A humanidade caída tem abusado de todas as dádivas de Deus levando-as além dos limites dados por Deus.

C. Abusar está em nós, não nas coisas. Não há nada mau na criação física (veja B. acima).

IV. Cultura e Fermentação Judaica do Primeiro Século

A. A fermentação começa muito cedo, aproximadamente 6 horas depois que a uva é esmagada.

B. A tradição judaica diz que quando uma leve espuma aparecia na superfície (sinal de fermentação), está sujeito ao dízimo do vinho (Ma aseroth 1.7). Era chamado "vinho novo” ou "vinho doce”).

C. A fermentação violenta primária estava completa depois de uma semana.

D. A fermentação secundaria levava cerca de 40 dias. Neste estado é considerado "vinho envelhecido” e poderia ser oferecido sobre o altar (Edhuyyoth 6.1).

E. O vinho tinha descansado nas suas borras (vinho velho) era considerado bom, mas tinha que ser coado bem antes do uso.

F. O vinho era considerado ser apropriadamente envelhecido geralmente depois de um ano de fermentação. Três anos era o período de tempo mais longo que o vinho poderia ser estocado em segurança. Era chamado "vinho velho” e tinha que ser diluído com água.

G. Somente nos últimos 100 anos com um ambiente estéril e aditivos químicos a fermentação tem sido adiada. O mundo antigo não podia parar o processo natural de fermentação.

V. Declarações de Conclusão

A. Tenha certeza de que a sua experiência, teologia e interpretação bíblica não depreciam a Jesus e a cultura judaica/cristã do primeiro século! Eles não eram obviamente abstêmios totais.

B. Eu não estou defendendo o uso social do álcool. Entretanto, muitos têm exagerado a posição da Bíblia sobre este assunto e agora alegam justiça superior baseada numa inclinação cultural/denominacional.

C. Para mim, Romanos 14 e I Coríntios 8-10 têm fornecido percepção e diretrizes baseadas no amor e respeitos pelos irmãos crentes e a propagação do evangelho em nossas culturas, não na liberdade pessoal ou crítica de julgamento. Se a Bíblia é a única fonte de fé e prática, então talvez nós devamos todos repensar esta questão.

D. Se nós promovemos a abstinência total como vontade de Deus, o que nós implicamos sobre Jesus, assim como aquelas culturas modernas que regularmente usam vinho (e.g., Europa, Israel, Argentina).



Copyright © 2014 Bible Lessons International