TÓPICO ESPECIAL: AUTORIA DE MOISÉS DO PENTATEUCO

A. A Bíblia mesma não identifica o autor (como é verdadeiro de muitos livros do AT). Gênesis não tem nenhuma seção “eu” como Esdras, Neemias, ou “nós” como Atos.

B. Tradição Judaica

1. Antigos escritores judeus dizem que Moisés o escreveu

a. O Eclesiástico de Ben Siraque, 24.23, escrito por volta de 185 a.C.

b. O Baba Bathra 14b, uma parte do Talmude que dá a autoria tradicional dos livros do AT

c. Filo de Alexandria, Egito, um filósofo judeu, que viveu por volta de 20 a.C. a 42 A.D.

d. Flávio Josefo, um historiador judeu, que viveu por volta de 37-70 A.D.

2. YHWH revela a verdade a Moisés

a. Diz-se que Moisés escreveu para o povo

(1) Êxodo 17.14

(2) Êxodo 24.4, 7

(3) Êxodo 34.27, 28

(4) Números 33.2

(5) Deuteronômio 31.9, 22, 24-26

b. Diz-se que Deus falou através de Moisés para o povo

(1) Deuteronômio 5.4, 5, 22

(2) Deuteronômio 6.1

(3) Deuteronômio 10.1

c. Diz-se que Moisés falou as palavras da Torá para o povo

(1) Deuteronômio 1.1, 3

(2) Deuteronômio 5.1

(3) Deuteronômio 27.1

(4) Deuteronômio 29:2

(5) Deuteronômio 31.1, 30

(6) Deuteronômio 32.44

(7) Deuteronômio 33.1

3. Outros autores do AT o atribuem a Moisés

a. Josué 8.31

b. II Reis 14.6

c. Esdras 6.18

d. Neemias 8.1; 13.1, 2

e. II Crônicas 25.4; 34.12; 35.12

f. Daniel 9.11

g. Malaquias 4.4

C. Tradição Cristã

1. Jesus atribui citações da Torá a Moisés

a. Mateus 8.4; 19.8

b. Marcos 1.44; 7.10; 10.5; 12.26

c. Lucas 5.14; 16.31; 20.37; 24.27, 44

d. João 5.46, 47; 7.19, 23

2. Outros autores do NT atribuem citações da Torá de Moisés

a. Lucas 2.22

b. Atos 3.22; 13.39; 15.1, 15-21; 26.22; 28.23

c. Romanos 10.5, 19

d. I Coríntios 9.9

e. II Coríntios 3.15

f. Hebreus 10.28

g. Apocalipse 15.3

3. A maioria dos Pais da Igreja aceitava a autoria Mosaica. Contudo, Irineu, Clemente de Alexandria, Orígenes e Tertuliano todos tiveram questionamentos sobre o relacionamento de Moisés com a forma canônica de Gênesis (cf. D. 2. na página 3).

D. Estudiosos modernos

1. Houve obviamente algumas adições editoriais na Torá (aparentemente para tornar o trabalho antigo mais compreensível para os leitores contemporâneos, que tinha uma característica dos escribas egípcios):

a. Gênesis 12.6; 13.7; 14.14; 21.34; 32.32; 36.31; 47.11

b. Êxodo 11.3; 16.36

c. Números 12.3; 13.22; 15.22, 23; 21.14, 15; 32.33ss

d. Deuteronômio 3.14; 34.6

2. Os antigos escribas eram altamente treinados e educados. Suas técnicas, contudo, diferenciavam de país para país:

a. Na Mesopotâmia, eles eram cuidadosos para não mudar nada, e ainda conferiam seus trabalhos com precisão. Aqui está uma nota de rodapé de um antigo escriba sumério de cerca de 1.400 a.C.: "o trabalho está completo do princípio ao fim, tendo sido copiado, revisado, comparado e verificado sinal por sinal”.

b. No Egito eles revisavam livremente os textos antigos para atualizá-los para os leitores contemporâneos. Os escribas de Qumran (i.e., Rolos do Mar Morto) seguiam essa abordagem.

3. Estudiosos do século 19 teorizaram que a Torá era um documento composto de muitas fontes durante um extenso período de tempo (Graff-Wellhausen). Essa teoria era baseada em:

a. os diferentes nomes para Deus

b. aparentes parelhas no texto

c. a forma literária dos relatos

d. a teologia dos relatos

4. Supostas fontes e datas

a. fonte J (uso de YHWH do sul de Israel) – 950 a.C.

b. fonte E (uso de Elohim do norte de Israel) – 850 a.C.

c. JE combinadas – 750 a.C.

d. fonte D – 621 a.C. (o Livro da Lei, II Reis 22.8, descoberto durante a reforma de Josias enquanto remodelava o Templo, que era supostamente o livro de Deuteronômio, escrito por um sacerdote desconhecido do tempo de Josias para apoiar sua reforma).

e. fonte P (reescrita sacerdotal do AT, especialmente o ritual e procedimento) – 400 a.C.

5. Houve obviamente diversas adições editoriais para a Torá. Os Judeus afirmam que

a. O Sumo Sacerdote (ou um outro da sua família) no tempo do escrito

b. Jeremias o Profeta

c. Esdras o Escriba – IV Esdras diz que ele o reescreveu porque os originais foram destruídos na queda de Jerusalém em 586 a.C.

6. Contudo, a teoria J.E.D.P. diz mais sobre nossas teorias e categorias literárias modernas do que da Torá (R. K. Harrison em sem livro Introduction to the Old Testament [Intoduçã ao Antigo Testamento], pp. 495-541 e Tyndale’s Commentaries, "Leiviticus [Levítico]”, pg. 15-25).

7. Características da Literatura Hebraica

a. Parelhas, como Gênesis 1 & 2, são comuns no hebraico. Geralmente uma descrição geral é dada, seguida por um relato específico. Isso pode ter sido uma maneira de acentuar as verdades ou auxiliar a memória oral.

b. Os antigos rabinos diziam que os dois nomes mais comuns para Deus têm significância teológica:

(1) YHWH – o nome da Aliança para a divindade como Ele se relaciona com Israel como Salvador e Redentor (cf. Sl 19.7-14; 103).

(2) Eloim – a divindade como Criador, Provedor e Sustentador de toda a vida na terra (cf. Sl 19.1-6; 104).

c. É comum na literatura não-bíblica do oriente próximo que uma variedade de estílos e vocabulário ocorram nas obras literárias unificadas (cf. R. K. Harrison, pg. 522-526).

8. Há uma teoria emergente de que havia escribas (em diferentes partes de Israel) trabalhando em diferentes partes do Pentateuco ao mesmo tempo sob a direção de Samuel (cf. I Sm 10.25). Essa teoria foi primeiro proposta por The Old Testament Problem [O Problema do Antigo Testamento] de E. Robertson.

E. A evidência da literatura do antigo Oriente Próximo implicam que Moisés usou documentos cuneiformes escritos ou tradições orais no estilo mesopotâmico (patriarcal) para escrever Gênesis. Isso de maneira nenhuma significa implicar uma diminuição da inspiração, mas é uma tentativa de explicar o fenômeno literário do livro de Gênesis (cf. New Discoveries in Babylonia about Genesis [Novas Descobertas na Babilônia sobre Gênesis] de P. J. Wiseman). Começando em Gênesis 37, uma marcante influência egípcia de estilo, forma e vocabulário parecem indicar que Moisés usou ou produções literárias ou tradições orais dos dias dos Israelitas tanto no Egito quanto na Mesopotâmia. A educação formal de Moisés era inteiramente Egípcia! A exata formação literária do Pentateuco é incerta. Eu acredito que Moisés é compilador e autor da vasta maior parte do Pentateuco, embora ele tenha usado escritores e/ou tradições escritas e orais (patriarcais). Seus escritos foram atualizados por escribas posteriores. A historicidade e confiabilidade desses primeiros poucos livros do AT têm sido ilustrados pela arqueologia moderna.



Copyright © 2014 Bible Lessons International