TÓPICO ESPECIAL: A IDADE E FORMAÇÃO DA TERRA

I. Esta área de estudo é parcial por causa da suposição que deve ser feita até mesmo a continuar pensando racionalmente sobre o assunto. As suposições devem ser o foco de uma avaliação das opiniões divergentes expressas por cosmólogos, geólogos e as ciências relacionadas comparadas à compreensão e interpretações teológicas. Ver John H. Walton, Genesis One As Ancient Cosmology. (Genesis Um Como Cosmologia Antiga)

II. Para a ciência as aparentes suposições são

A. que as proporções de mudança (i.e. física, química e biológica) registradas e medidas na terra hoje são constantes no passado (i.e. uniformitarianismo, "o presente é a chave para o passado")

B. datação radiométrica (chamada datação absoluta), que é a chave cronológica para a datação da terra e os eventos cósmicos, é corrompida por várias suposições:

1. a composição original das rochas (i.e. relação de elementos genitor e filha de elementos atômicos instáveis)

2. a meia-vida exata desses elementos

3. temperatura também afeta as porcentagens genitor e filha numa amostra (i.e. tempo de formação e/ou câmaras de magma vulcânico)

4. a fonte e datação original da criação dos elementos radioativos não são certos. Teorias atuais afirmam que os elementos mais pesados são criados por reações termonucleares nas estrelas e supernovas.

C. que os seis supostos princípios de sequência da geologia (chamados datação relativa) afetam a paleontologia:

1. a lei da sobreposição‒numa sequência não deforma de rochas sedimentares, a camada-leito acima é mais jovem e a camada abaixo é mais antiga

2. o princípio da horizontalidade original–camadas de rocha rudimentar foram depositadas num plano quase horizontal

3. o princípio das relações transversais–quando rochas são cortadas ou deslocadas por uma falha, elas devem ser mais antigas do que a falha

4. o princípio de inclusões‒massas de rocha adjacentes a uma outra, uma geralmente terá pedaços da mais baixa embutidos na camada de cima o que confirma a suposição do nº 1

5. o princípio de correlações‒rochas de composição similar de áreas diferentes devem ser igualadas, quando isso não poder ser feito, então os fósseis similares são usados para mostrar datas similares de formação

6. o princípio de sucessão fóssil‒organismos fósseis se sucedem numa sequência definida determinável:

a. fósseis difundidos

b. limitado a um curto espaço de tempo geológico

III. Alguns comentários feitos por cientistas

A. A maioria dos cientistas percebe que a verdadeira ciência é um método de pesquisa que busca correlacionar todos os fatos e anomalias conhecidas numa teoria testável. Algumas coisas por sua exata natureza não testáveis.

B. Alguns comentários de cientistas sobre suposições científicas nessa área

1. "A doutrina (i.e. uniformitarismo) não deveria ser tomada literalmente demais. Dizer que os processos geológicos no passado foram os mesmos que aqueles que ocorrem hoje não deve sugerir que eles sempre tiveram a mesma importância relativa e operaram precisamente na mesma proporção" (Tarbuck e Lutgens, Earth Science [Ciência da Terra], 6ª ed. p. 262).

2. "É importante perceber que uma data radiométrica exata pode ser obtida somente se o mineral permanecer num sistema fechado durante o período da sua formção; ou seja, uma data correta não possível a menos que não houvesse nem um acréscimo nem perda de isótopos precursores ou de desintegração" (Earth Science [Ciência da Terra], 6ª ed. p. 276).

3. "Nós nos apressamos a enfatizar que essa uniformidade é uma suposição que fazemos sobre a natureza, também é uma doutrina em vez de uma lei provada logicamente" (Dott e Balten, Evolution of the Earth [Evolução da Terra] 4a ed. p. 44).

4. "As constantes do decaimento que caracterizam as taxas de decaimento radioativo e governam o relacionamento entre os dados isotópicos e suas correspondentes idades rádio-isotópicas são inexatamente conhecidas. Em consequência, a exatidão de alguns dos mais precisos métodos de datação, tais como a técnica 40Ar/39Ar, podem ser uma ordem de magnitude ou pior do que sua precisão ("Progresso e desafios na geocronologia" por Renne, Ludwig e Karner em Science Progress [Progresso da Ciência] (2000), 83 (1), 107).

5. "Pessoas sem treinamento em ciência podem não compreender que qualquer método de datação radiométrica pode somente ser confiados por amostras com idades próximas à meia-vida do elemento em questão” (Hugh Ross, Boletim Informativo Reasons to Believe [Razões para Crer]).

IV. Suposições não são únicas para a comunidade científica obviamente também existem na comunidade religiosa.

A. Os seres humanos são atraídos para um princípio ou modelo unificador para correlacionar sua experiência sensorial e prover estabilidade emocional. Na ciência esse princípio unificador tornou-se a "evolução."

1. Theodosius Dobzhansky, "O homem em evolução," Science [Ciência], 155, 409-415, "A evolução é um processo que produziu vida a partir da não-vida, que gerou o homem a partir dos animais, e que pode concebivelmente continuar fazendo coisas extraordinárias no futuro."

2. Brian J. Alters e Sandra M. Alters, Defining Evolution [Definindo a Evolução], p. 104, "evolução é o contexto básico de todas as ciências biológicas... evolução é a o quadro explicativo, a teoria unificadora. É indispensável para o estudo da biologia, exatamente como a teoria atômica é indispensável para o estudo da química."

B. Para muitos cristãos conservadores a teoria unificadora (i.e. interpretação) tronou-se uma interpretação literal de Gênesis 1-3. Isso é verdadeiro para os literalistas da terra jovem (A Creation Research Society [Sociedade de Pesquisa da Criação] data a terra em aproximadamente 10.000 anos) e os literalistas da terra antiga (Reasons to Believe [Razões para Crer] datas a terra à luz da geologia moderna em 4,6 bilhões de anos). A interpretação de alguém da Escritura torna-se uma lente através da qual tudo mais é visto e avaliado. Ninguém pode culpar a suposição subjetiva, pois todo conhecimento humano é em algum nível pré-suposicional. No entanto, a avaliação das pressuposições de alguém é crucial para uma avaliação adequada de suas declarações da "verdade".

C. O Cristianismo Fundamentalista está tentando vestir-se com argumento "científico" quando a questão central é uma metodologia hermenêutica. Isso não deve implicar que "a ciência evolucionária moderna" não seja pré-suposicional ou que suas conclusões não sejam formadas por uma visão de mundo a priori. Devemos ser cuidadosos e analíticos com ambos. Parece haver evidência em ambos os lados. Devo perguntar a mim mesmo: a que visão eu sou naturalmente, emocionalmente ou educacionalmente atraído (i.e. suposição autorrealizável)?

V. Conclusão pessoal

A. Visto que sou um teólogo, não um cientista, foi crucial para mim ler e assimilar tanto quanto pude da ciência uniformitarista modera. Eu não sou pessoalmente agitado pela "evolução" mas pelo "naturalismo" (uma definição tornada popular por Carl Sagan é, "o universo é tudo que foi, tudo que é e tudo que será"). Percebo que isso é um preconceito, mas minha teoria unificadora é supranaturalismo e criacionismo especial, no entanto, eu não nego ou sinto ameaçado pela evolução. Minha perspective básica é que há um Deus pessoal Que iniciou e dirige o processo para um propósito! Para mim, "design inteligente" torna-se uma teoria sensata (cf. M. J. Behe, Darwin's Black Box [A Caixa Preta de Darwin] e William A. Demski, ed. Mere Creation: Science, Faith and Intelligent Design [Mera Criação: Ciência, Fé e Design Inteligente). É a "aleatoriedade" da evolução e o "não-gerenciamento" do naturalismo que me causa dor e confusão pessoal. Processo é uma parte óbvia da vida. Devo ter certeza que não abraço o que é confortável sem avaliação. Tenho tentado identificar minhas suposições.

1. Gênesis 1-3 (e para este assunto, muito do livro de Apocalipse) não é destinado pelo seu autor original inspirado a ser tomado literalmente. "Como tudo começou" e "Como tudo acabará" está encoberto no gênero literário.

2. A evolução é óbvia em certos níveis ("evolução horizontal", "micro-evolução", evolução dentro das espécies), mas não o único fator unificador para vida neste planeta nem o desenvolvimento do universo. Há mistério aqui! Eu me sinto pessoalmente confortável com a Bíblia (i.e. revelação especial) me dizendo o "Quem" e o "por que" e a natureza (i.e. revelação natural), ou seja, a pesquisa científica moderna, me dizendo o "como" e o "quando" baseada nos modelos e teorias em desenvolvimento.

3. Até mesmo a realidade final da "evolução teísta" não me faria rejeitar nenhuma das minhas suposições de fé. See Darrel R. Falk, Coming to Peace with Science: Bridging the World's Between Faith and Biology [Fazendo as Pazes com a Ciência: Unindo o Mundo entre a Fé e a Biologia]. Eu realmente tenho suposições de fé (como você tem)! Minha cosmovisão é o cristianismo bíblico. Minha visão de mundo é uma compreensão crescente e mutável.

B. A "verdadeira" idade da terra não é uma questão na minha teologia exceto:

1. O conceito aparente do "Big Bang" da organização universal da matéria, que afirma um início para o universo parece limitar as possibilidades de um tempo ilimitado para o desenvolvimento evolucionário (i.e. naturalismo).

2. Os começos e paradas nos registros fósseis podem implicar um "equilibrio pontuado" que afirma que possibilidade evolucionária ocorre em arrancos (possivelmente atos criativos de Deus em curso) e não necessariamente apenas mudança gradual durante o tempo.

3. Uma terra antiga e uma criação especial recente da humanidade é um modelo pré-suposicional que eu escolho para abraçar até que eu compreenda mais a partir do meu estudo da Bíblia, arqueologia e ciência moderna. A ordem dessas mostra minha inclinação (mas todos nós as temos)!

4. A ciência não é um inimigo para mim, nem um salvador! É tão emocionante viver nesta era de conhecimento crescente! É tão confortante ser um crente hermeneuticamente informado! Integração da fé e razão, ou da Bíblia e Ciência, com credibilidade, é uma possibilidade maravilhosa!

VI. Presentes suposições quanto à idade da terra

A. A datação radiométrica das rochas da lua e meteoros tem sido consistente em 4,6 bilhões de anos. Elas contêm os mesmos elementos como os planetas deste sistema solar assim a inferência é que o nosso sol e seus planetas, cometas e asteróides associados foram formados nessa época. As rochas mais antigas da terra têm sido datas radiométricas de 3,8 bilhões de anos.

B. Uma data para a criação sobrenatural do primeiro par humano (Homo sapiens) é uma questão mais difícil mas está na faixa de grau de dezenas de milhares, possivelmente 40.000.

O tempo é somente uma questão para aqueles de nos criados numa estrutura de tempo cronológica seqüencial. Dues não é afetado pela passagem do tempo. Eu creio que a terra e seu meio ambiente foram criados durante o tempo para o propósito específico de providenciar um "lugar" para Deus ter comunhão com a Sua mais elevada criação, que foi criado por Ele à Sua imagem. A única fonte para essas crenças é uma Bíblia inspirada. Eu me apego a ela e permito à ciência moderna aumentar minha compreensão dos aspectos físicos da atividade criativa de Deus!



Copyright © 2014 Bible Lessons International