TÓPICO ESPECIAL: "PERMANECER” NOS ESCRITOS DE JOÃO

 

O Evangelho de João descreve um relacionamento especial entre Deus o Pai e Jesus o Filho. É uma intimidade mútua baseada em sujeição e igualdade. Por todo o Evangelho, Jesus fala o que Ele ouve o Pai dizendo, faz o que Ele vê o Pai fazendo. Jesus não age por conta própria, mas na vontade do Pai(isto é, João 5.19,30; 8.28; 12.49; 14.10,24).

Esta comunhão e servidão íntimas estabelecem o padrão para o relacionamento entre Jesus e Seus seguidores. Esta associação íntima não foi a absorção do indivíduo (como no misticismo oriental), mas um estilo de vida emulação ética, moral. A comunhão era

1. cognitiva (a visão de mundo do evangelho como a Palavra de Deus);

2. relacional (Jesus era o Messias prometido de Deus para ser confiado e dependido);

3. ética (Seu caráter reproduzido em crentes piedosos).

Jesus é o homem ideal, o verdadeiro israelita, o padrão de humanidade. Ele revela o que Adão deveria ter e poderia ter sido (humanamente falando). Jesus é a suprema "imagem de Deus”. Ele restaura a imagem caída na humanidade (cf. Gen. 1.26-27) através da

1. completa, única e definitiva revelação de Deus (cf. João 1.18; 14.7-10; Colossenses 1.15; Hebreus 1.1-2.)

2. morte em nosso nome (expiação substitutiva, cf. Marcos 10.45;. 2 Cor 5.21)

3. fornecimento aos seres humanos de um exemplo a seguir (cf. João 13.15; 1 Pe 2.21; 1 João 1.7).O termo "permanecer” (menō) reflete a meta de semelhança a Cristo (cf. Rm 8.28-30; 2 Coríntios 3.18; Gal 4.19; Efésios 1.4; 4.13; 1 Tes. 3.13; 4.3; 5.23; 2 Tessalonicenses 2.13; Tito 2.4; 1 Pe 1.15), a restauração da Queda (cf. Gn 3). Esta reunião de Deus e Sua suprema criação, a humanidade, para o propósito de comunhão é o "em Cristo” do Apóstolo Paulo e o "permaneçam em mim” do Apóstolo Paulo.

Observe o uso de João:

1. Permanecer entre o Pai e o Filho

a. o Pai no Filho (João 10.38; 14.10, 11, 20; 17.21, 23)

b. o Filho no Pai (João 10.38; 14.10, 11, 20; 17.21)

2. Permanecer entre a divindade e o crente

a. o Pai no crente (João 14.20, 23; I João 3.24; 4.12, 13, 15)

b. o crente no Pai (João 14.20, 23; 17.21; I João 2.24; 4.13, 16)

c. o Filho no crente (João 6.56; 14.20, 23; 15.4, 5; 17.21, 23)

d. o crente no Filho (João 6.56; 14.20, 23; 15.4, 5, 7; I João 2.6, 24, 27, 28)

3. Outros elementos de permanecer (positivos)

a. a palavra de Deus

(1) negativamente (João 5.38; 8.37; I João 1.10; II João 9)

(2) positivamente (João 8.31; 15.2; I João 2.14, 24; II João 9)

b. o amor de Deus (João 15.9, 10; 17.26; I João 3.17; 4.16)

c. o espírito de Deus

(1) sobre o Filho (João 1.32)

(2) no crente (João 14.17)

d. obediência é permanecer (João 15.10; I João 3.24)

e. amor é permanecer na luz (I João 2.10)

f. fazer a vontade de Deus é permanecer (I João 2.17)

g. a unção permanece (I João 2.27)

h. a verdade permanece (II João 2)

i. o Filho permanece (João 8.35; 12.34)

4. outros elementos de permanecer (negativos)

a. a ira de Deus permanece (João 3.36)

b. permanecer nas trevas (João 12.46)

c. lançado fora...queimado (não permanecer) (João 15.6)

d. pecar (não permanecer) (I João 3.6)

e. não amar (não permanecer) (I João 3.14)

f. nenhum assassino (não a vida eterna permanecendo) (I João 3.15)

g. aquele que não vive, permanece  na morte (I João 3.14)