TÓPICO ESPECIAL: Procedimentos Exegéticos para Interpretar "O Pecado Imperdoável”

 

A. Lembre que os Evangelhos refletem um cenário judaico

1. Dois tipos de pecados (veja Tópico Especial: Pecados Não Intencionais [AT]cf. Lv 4.2, 22, 27; 5.15, 17-19; Nm 15.27-31; Dt 1.43; 17.12, 13)

a. não intencional

b. intencional

2. Cenário judaico Pré-Pentecostal (i.e., o cumprimento do evangelho [isto é, morte, ressurreição, ascensão] ea dotação especial do Espírito ainda não tinham sido manifestados)

B. Observe o contexto literário de Marcos 3.22-30

1. A incredulidade da própria família de Jesus (cf. 3.31-32)

2. A incredulidade dos fariseus (cf. 2.24; 3.1, 6, 22)

C. Compare os paralelos onde o título "Filho do Homem” muda para "filhos dos homens”

1. Mt 12.22-37 (i.e., 12.32, "alguma palavra contra o Filho do Homem”)

2. Lucas 11.14-26; 12.8-12 (i.e., 12.10, "uma palavra contra o Filho do Homem”)

3. Marcos 3.28 (i.e., "tudo será perdoado aos filhos dos homens”)

 O pecado imperdoável é a rejeição contínua de Jesus na presença de grande luz. Os fariseus claramente compreendiam, mas se recusaram a acreditar. Neste sentido, está relacionado com o "pecado para a morte" em 1 João (veja Tópico Especial: Pecado Para a Morte)