TÓPICO ESPECIAL: QUARENTA E DOIS MESES

 

A frase “quarenta e dois meses” é profeticamente característica de um período de perseguição. O pisoteio do pátio exterior é um provérbio para o povo de Deus sob a dominação de incrédulos em diferentes períodos da história – Antíoco Epifânio, os romanos em 70 A.D. e o Anticristo do fim dos tempos.

Quarenta e dois meses, ou seu equivalente, é mencionado várias vezes na Bíblia. A origem parece ser o livro de Daniel.

1. Daniel 7.25 e 12.7 mencionam "um tempo, tempos e a metade de um tempo” ou 1.277 dias (supondo que um "tempo” equivale a um ano), cf. Apo. 12.14

2. Daniel 8.14 menciona 2.300 noites e manhãs

3. Daniel 12.11 menciona 1.290 dias

4. Daniel 12.12 menciona 1.335 dias. Fraseologia similar é encontrada em Ap 11.3; 12.6 (1.260 dias) e 11.2; 13.5 (42 meses).

Outra maneira de olhar para esta frase enigmática é vê-la como uma seqüência: um, dois, mas não um terceiro; portanto, uma quantidade limitada de tempo divinamente sob o qual reinos gentios perseguem o povo de Deus. Deus, no livro de Daniel, está no controle completo (cf. Dn 7.4,6,11,12,18,22,25,26,27)!

Quando todas essas ocorrências são levadas em conta, sua variedade parece falar da natureza simbólica dos números (veja Tópico Especial: Números Simbólicos na Escritura), enquanto sua proximidade aos quarenta e dois meses parece mostrar que é um número simbólico para um período de perseguição. Desde que três e meio é a metade de sete, isso parece ser uma referência ao período completo de perseguição que foi abreviado (cf. Mt 24.22; Marcos 13.20; Lucas 21.24). A perseguição é limitada pelo amor de Deus assim como o juízo.