TÓPICO ESPECIAL: RACISMO

 

I. Introdução

A. Esta é uma expressão universal da humanidade caída dentro da sua própria sociedade. Este é o ego da humanidade, apoiando-se nas costas dos outros. O racismo é, de várias maneiras, um fenômeno moderno, enquanto o nacionalismo (ou tribalismo) é uma expressão mais antiga.

B. O nacionalismo começou em Babel (Gênesis 11) e estava originalmente relacionado com os três filhos de Noé dos quais as assim chamadas raças se desenvolveram (Gênesis 10). Contudo, é óbvio a partir da Escritura que a humanidade é de uma única fonte (cf. Gênesis 1-3; Atos 17.24-26).

C. O racismo é apenas um dos muitos preconceitos. Alguns outros são:

1. esnobismo educacional;

2. arrogância sócio-econômica;

3. legalismo religioso hipócrita;

4. afiliações políticas dogmáticas.

II. Material Bíblico

A. Antigo Testamento

1. Gn 1.27 – A humanidade, macho e fêmea, foi feita à imagem e semelhança de Deus, que os criou únicos. Isso também mostra seu valor e dignidade individual (cf. João 3.16).

2. Gn 1.11-25 – Registra a frase, "...segundo a sua espécie...” dez vezes. Isso tem sido usado para apoiar a segregação racial. No entanto, é óbvio do contexto que isso se refere a animais e plantas não à humanidade.

3. Gn 9.18-27 – Isso tem sido usado para apoiar a predominância racial. Deve ser lembrado que Deus não amaldiçoou Canaã. Noé, seu bisavô, o amaldiçoou depois de despertar de um estupor alcoólico. A Bíblia nunca registra que Deus confirmou esse juramento/maldição. Mesmo que Ele tivesse, isso não afeta a raça negra. Canaã foi o pai daqueles que habitaram a Palestina e a arte de parede do Egito mostra que eles não eram negros.

4. Num. 12: 1 - Moisés se casa com uma mulher negra

5. Josué 9.23 – Isso tem sido usado ara provar que uma raça servirá à outra. No entanto, no contexto, os gibeonitas são da mesma linhagem que os judeus.

6. Esdras 9-10 e Neemias – Esses têm sido freqüentemente usados num sentido racial mas o contexto mostra que os casamentos foram condenados não por causa da raça (eles eram do mesmo filho de Noé, Gênesis 10), mas por razões religiosas.

B. Novo Testamento

1. Nos Evangelhos:

a. Jesus fez uso do ódio entre os judeus e os samaritanos em vários casos, o que mostra que o ódio racial é inapropriado.

(1) a parábola do Bom Samaritano (Lucas 10.25-37)

(2) a mulher no poço (João 4)

(3) o leproso agradecido (Lucas 17.11-19)

b. O evangelho é para toda a humanidade:

(1) João 3.16

(2) Lucas 24.46, 47

(3) Hebreus 2.9

(4) Apocalipse 14.6

c. O Reino incluirá toda a humanidade

(1) Lucas 13.29

(2) Apocalipse 5

2. Atos

a. Atos 10 é uma passagem definitiva sobre o amor universal de Deus e a mensagem universal do evangelho.

b. Pedro foi atacado por suas ações em Atos 11 e esse problema não foi resolvido até o Concílio de Jerusalém de Atos 15 se reuniu e chegou a uma solução. A tensão entre os judeus e gentios do primeiro século foi muito intensa.

3. Paulo

a. Não há barreiras em Cristo

(1) Gl 3.26-28

(2) Ef 2.11-22

(3) Cl 3.11

b. Deus não faz acepção de pessoas

(1) Rm 2.11

(2) Ef 6.9

4. Pedro e Tiago

a. Deus não faz acepção de pessoas, I Pe 1.17

b. Deus não mostra parcialidade, então nem deveria Seu povo, Tiago 2.1

5. João

a. Uma das mais fortes declarações sobre a responsabilidade dos crentes é encontrada em I João 4.20

III. Conclusão

A. O racismo, ou tampouco, ou preconceito de qualquer espécie, é totalmente impróprio para os filhos de Deus. Aqui está uma citação de Henlee Barnette, que falou num fórum em Glorieta, Novo México, para a Comissão de Vida Cristã, em 1964.

"O racismo é herético, porque é antibíblico e anticristão, para não dizer anti-científico”.

B. Este problema dá aos cristãos a oportunidade de mostrar seu amor, perdão e compreensão semelhante a Cristo a mundo perdido. A recusa cristã nesta área mostra imaturidade e é uma oportunidade para o maligno retardar a fé, a certeza e o crescimento do crente. Também atuará como uma barreira às pessoas que se aproximam de Cristo.

C. O que eu posso fazer? (Esta seção é tirada de um tratado da Comissão de Vida Cristã intitulada "Relações das Raças”)

“NO NÍVEL PESSOAL”

• Aceite sua própria responsabilidade em resolver problemas associados com raça.

• Através da oração, estudo da Bíblia e comunhão com aqueles de outras raças, esforce-se por livrar a sua vida do preconceito racial.

• Expresse suas convicções a respeito de raça, particularmente onde aqueles que estimulam o ódio racial não são desafiados.

“NA VIDA FAMILIAR”

• Reconheça a importância da influência da família no desenvolvimento de atitudes para com as outras raças.

• Busque desenvolver atitudes cristãs falando sobre o que filhos e pais ouvem sobre a questão racial fora de casa.

• Os pais deveriam ter cuidado para estabelecer um exemplo cristão ao relacionar-se com pessoas de outras raças.

• Busque oportunidades para fazer amizades da família através das linhas raciais.

“NA SUA IGREJA”

• Pela pregação e ensino da verdade bíblica relativa a raça, a congregação pode ser motivada a estabelecer um exemplo para a comunidade inteira.

• Assegure-se de que a adoração, a comunhão e o culto através da igreja estejam abertos a todos, mesmo que as igrejas do NT não observaram barreiras raciais (Ef 2.11-22; Gl 3.26-29).

“NA VIDA DIÁRIA”

• Ajude a vencer toda discriminação racial no mundo do trabalho.

• Trabalhe através de organizações da comunidade de todos os tipos para assegurar direitos e oportunidades iguais, lembrando que é o problema racial que deve ser atacado, não as pessoas. O alvo é promover compreensão, não criar amargura.

• Se parecer sábio, organize um comitê especial de cidadãos interessados para o propósito de abrir linhas de comunicação na comunidade para educação do público em geral e para ações específicas ao melhorar as relações raciais.

• Apóie a legislação e os legisladores na aprovação de leis que promovam a justiça racial e oponha-se àqueles que exploram o preconceito para ganho político.

• Elogie os funcionários públicos que aplicam a lei por aplicarem a lei sem discriminação.

• Evite a violência e promova o respeito pela lei, fazendo tudo que for possível como cidadão cristão, para assegurar que as estruturas legais não se tornem ferramentas nas mãos daqueles que promoveriam discriminação.

• Exemplifique o Espírito e a mente de Cristo em todas as relações humanas.