TÓPICO ESPECIAL: RIQUEZA

 

I. Perspectiva do Antigo Testamento como um todo

A. Deus é o dono de todas as coisas

1. Gênesis 1-2

2. I Crônicas 29.11

3. Salmo 24.1; 50.12; 89.11

4. Isaías 66.2

B. Os homens são despenseiros da riqueza para os propósitos de Deus

1. Deuteronômio 8.11-20

2. Levítico 19.9-18

3. Jó 31.16-33

4. Isaías 58.6-10

C. A riqueza é uma parte da adoração

1. os dois dízimos

a. Números 18.21-29; Dt 12.6, 7; 14.22-27

b. Dt 14.28, 29; 26.12-15

2. Provérbios 3.9

D. A riqueza é vista como um dom de Deus pela fidelidade pactual

1. Deuteronômio 27-28

2. Provérbios 3.10; 8.20, 21; 10.22; 15.6

E. Advertências contra a riqueza à custa dos outros

1. Provérbios 21.6

2. Jeremias 5.26-29

3. Oséias 12.6-8

4. Miquéias 6.9-12

F. A riqueza não é um pecado em si, a menos que seja prioridade

1. Salmo 52.7; 62.10; 73.3-9

2. Provérbios 11.28; 23.4, 5; 27.24; 28.20-22

3. Jó 31.24-28

II. Perspectiva única de Provérbios

A. A riqueza colocada na arena de esforço pessoal

1. indolência e preguiça condenadas – Provérbios 6.6-11; 10.4, 5, 26; 12.24, 27; 13.4; 15.19; 18.9; 19.15, 24; 20.4, 13; 21.25; 22.13; 24.30-34; 26.13-16

2. trabalho duro defendido – Provérbios 12.11, 14; 13.11

B. Pobreza versus riqueza usada para ilustrar a justiça versus iniqüidade – Provérbios 10.1ss; 11.27, 28; 13.7; 15.16, 17; 28.6, 19, 20

C. Sabedoria (conhecer a Deus e Sua Palavra e viver esse conhecimento) é melhor do que riquezas – Provérbios 3.13-15; 8.9-11,18-21; 13.18

D. Advertências e admoestações

1. advertências

a. tenha cuidado com garantir empréstimo a um vizinho (fiador) – Provérbios 6.1-5; 11.15; 17.18; 20.16; 22.26, 27; 27.13

b. tenha cuidado com ficar rico através de meios maus – Provérbios 1.19; 10.2, 15; 11.1; 13.11; 16.11; 20.10, 23; 21.6; 22.16, 22; 28.8

c. tenha cuidado com empréstimo – Provérbios 22.7

d. tenha cuidado com a fugacidade da riqueza – Provérbios 23.4, 5

e. a riqueza não ajudará no dia do juízo – Provérbios 11.4

f. a riqueza tem muitos "amigos” – Provérbios 14.20; 19.4

2. Admoestações

a. a generosidade defendida – Provérbios 11.24-26; 14.31; 17.5; 19.17; 22.9, 22, 23; 23.10, 11; 28.27

b. a justiça é melhor do que a riqueza – Provérbios 16.8; 28.6, 8, 20-22

c. oração pela necessidade, não por abundância – Provérbios 30.7-9

d. dar aos pobres é dar a Deus – Provérbios 14.31

III. Perspectiva do Novo Testamento

A. Jesus

1. a riqueza forma uma tentação única de confiar em nós mesmos e nos nossos recursos em vez de Deus e Seus recursos

a. Mateus 6.24; 13.22; 19.23

b. Marcos 10.23-31

c. Lucas 12.15-21, 33, 34

d. Apocalipse 3.17-19

2. Deus proverá nossas necessidades físicas

a. Mateus 6.19-34

b. Lucas 12.29-32

3. semear está relacionado com colher (espiritual assim como físico)

a. Marcos 4.24

b. Lucas 6.36-38

c. Mateus 6.14; 18.35

4. o arrependimento afeta a riqueza

a. Lucas 19.2-10

b. Levíticos 5.16

5. a exploração econômica condenada

a. Mateus 23.25

b. Marcos 12.38-40

6. o fim dos tempos está relacionado com o nosso uso da riqueza – Mateus 25.31-46

B. Paulo

1. visão prática como Provérbios (trabalho)

a. Efésios 4.28

b. I Tessalonicenses 4.11, 12

c. II Tessalonicenses 3.8, 11, 12

d. I Timóteo 5.8

2. visão espiritual como Jesus (coisas são passageiras, contentem-se)

a. I Timóteo 6.6-10 (contentamento)

b. Filipenses 4.11, 12 (contentamento)

c. Hebreus 13.5 (contentamento)

d. I Timóteo 6.17-19 (generosidade e confiança em Deus, não nas riquezas)

e. I Coríntios 7.30, 31 (transformação das coisas)

IV. Conclusões

A. Não há nenhuma teologia bíblica sistemática no que se refere à riqueza.

B. Não há nenhuma passagem definitiva sobre esse assunto, entretanto, percepções podem ser obtidas de diferentes passagens. Tenha cuidado para não ler suas visões nesses textos isolados.

C. Provérbios, que foi escrito pelos homens sábios (sábios), tem uma perspectiva diferente do que outros tipos de gênero bíblico. Provérbios é prático e focado individualmente. Equilibra e deve ser equilibrado por outra Escritura (cf. Jr 18.18).

D. Nossa época precisa analisar suas visões e práticas concernentes à riqueza à luz da Bíblia. Nossas prioridades são colocadas em lugar errado se o capitalismo ou o comunismo são nosso único guia. Por que e como alguém alcança o sucesso são questões mais importantes do que o quanto alguém tem acumulado.

E. O acúmulo de riqueza deve ser equilibrado com a verdadeira adoração e a mordomia responsável (cf. II Coríntios 8-9).