TÓPICO ESPECIAL: "VERDADEIRO” (O TERMO) NOS ESCRITOS DE JOÃO

 

1. Deus o Pai

a. Deus é verdadeiro/digno de confiança (cf. João 3.33; 7.18, 28; 8.26; 17.3; Rm 3.4; I Ts 1.9; I João 5.20; Ap 6.10)

b. Os caminhos de Deus são verdadeiros (cf. Ap 15.3)

c. Os juízos de Deus são verdadeiros (cf. Ap 16.7; 19.2)

d. Os ditos de Deus são verdadeiros (cf. Apoc. 19.11)

2. Deus o Filho

a. O Filho é verdadeiro/verdade

1) verdadeira luz (cf. João 1.9; I João 2.8)

2) verdadeiro vinho (cf. João 15.1)

3) cheio de graça e de verdade (cf. João 1.14, 17)

4) Ele é a verdade (cf. João 14.6; 8.32)

5) Ele é verdadeiro (cf. Ap 3.7, 14; 19.11)

b. o testemunho/testemunha do filho é verdadeiro (cf. João 18.37)

3. Pode ter um sentido comparativo

a. a lei de Moises versus a graça e a verdade de Jesus (cf. João 1.17)

b. o tabernáculo no deserto versus o tabernáculo celestial (cf. Hb 8.2; 9:1)

4. Tão freqüentemente em João essa palavra tinha várias conotações (hebraico e grego). João usa todas elas para descrever o Pai e o Filho, como pessoas, como porta-vozes, e como suas mensagem que deve ser passada aos seus seguidores (cf. João 4.13; 19.35; Hb 10.22; Ap 22.6).

5. Para João, esses dois adjetivos descrevem o Pai como a única divindade digna de confiança (cf. 5.44; I João 5.20) e Jesus como Sua verdadeira e completa revelação para o propósito de redentivos, não apenas cognitivos!