TÓPICO ESPECIAL: ESPÍRITO NA BÍBLIA

I. Antigo Testamento (ruah, BDB 924, KB 1197; Veja o Tópico Especial: Sopro, Vento, Espírito [AT])

A. As ações do Deus monoteísta (i.e., Espírito, usado cerca de 90 vezes no AT)

1. positiva, Gênesis 1.2

2. negativa, I Sm 16.14-16, 23; I Rs 22.21, 22; Is 29.10

B. A força da vida dada por Deus na humanidade (i.e., fôlego de Deus, cf. Gn 2.7)

C. A Septuaginta traduz ruah por pneuma (usada cerca de 100 vezes na LXX)

D. Nos escritos rabínicos posteriores, escrito apocalíptico e os Rolos do Mar Morto, influenciados pelo zoroastrismo, pneuma é usado para anjos e demônios

II. Os termos gregos

A. pneō, soprar

B. pnoē, vento, fôlego

C. pneuma, espírito, vento

D. pneumatikos, concernente ao espírito

E. pneumatikōs, espiritualmente

III. Origem filosófica grega (pneuma)

A. Aristóteles usou o termo como a força da vida que se desenvolve da nascimento até a autodisciplina

B. Os estóicos usaram o termo como sinônimo a psuchē, (alma) ainda nous (mente) no sentido dos cinco sentidos físicos e o intelecto humano

C. Pensamento grego – o termo se tornou equivalente à ação divina (i.e., adivinhação, mágica, ocultismo, profecia, etc.)

IV. Novo Testamento (pneuma; veja Tópico Especial: Espírito no NT)

A. A presença, poder e preparo especial de Deus

B. O Espírito está relacionado com a atividade de Deus na igreja (majoritariamente em João)

1. profecia

2. milagres

3. ousadia para proclamar o evangelho

4. sabedoria (i.e., o evangelho)

5. alegria

6. introduz a nova era

7. conversão (i.e., persuasão e habitação)

8. semelhança a Cristo

9. dos especiais para o ministério

10. ora pelos crentes

O Espírito desperta o desejo da humanidade pela comunhão com Deus, para o que eles foram criados. Essa comunhão é possível por causa da pessoa e obra de Jesus, o Messias de Deus (veja Tópico Especial: Messias). O novo despertar espiritual leva ao viver, serviço e confiança semelhante a Cristo.

C. Melhor compreendido como uma continuidade espiritual com o Espírito Santo numa extremidade e humanidade como uma criatura física deste planeta, mas também uma criatura espiritual à imagem de Deus, na outra extremidade.

D. Paulo é o autor do NT que desenvolve uma teologia do Espírito/espírito.

1. Paulo usa Espírito para contrastar carne (i.e., natureza do pecado)

2. Paulo usa espírito para contrastar o físico

3. Paulo usa Espírito/espírito para contrasta o pensamento, conhecimento e ser humano

E. Alguns exemplos de I Coríntios

1. o Espírito Santo, 12.3

2. o poder e sabedoria de Deus transmitidos pelo Espírito Santo, 2.4, 5

3. ações de Deus no crente

a. nova crença, 2.12; 14.14, 32

b. novo templo, 3.16, 6.19, 20

c. nova vida (i.e., moralidade), 6.9-11

d. nova vida simbolizada no batismo, 12.13

e. um com Deus (i.e., conversão), 6.17

f. sabedoria de Deus, não sabedoria do mundo, 2.12-15; 14.14, 32, 37

g. dom espiritual de cada crente para o ministério, capítulos 12 e 14

4. o espiritual em contraste ao físico, 9.11; 10.3; 15.44

5. o terreno espiritual em contraste ao terreno físico, 2.11; 5.5; 7.34; 15.45; 16.18

6. uma maneira de referir-se à vida espiritual/interna de um ser humano como distinta do corpo físico de alguém, 7.34

F. Os seres humanos vivem em dois terrenos pela criação (i.e., o físico e espiritual). A humanidade caiu da intimidade com Deus (Gênesis 3). Através da vida, ensinos, morte ressurreição e retorno prometido de Cristo, o Espírito persuade os seres humanos a exercitar fé no evangelho (i.e., João 6.44,65), em que ponto eles são restaurados à comunhão com Deus. O Espírito é aquela parte pessoal da Trindade que caracteriza a Nova Era de justiça. O Espírito é o agente de Deus o Pai e Advogado do Filho nesta "era" (veja Tópico Especial: Jesus e o Espírito). Um problema existe porque a nova era ocorreu no tempo, enquanto a antiga era de rebelião ainda existe. O Espírito transforma a antiga na nova, mesmo enquanto ambas existem.





Copyright © 2014 Bible Lessons International