TÓPICO ESPECIAL: RESGATE/REMIR

 

I. ANTIGO TESTAMENTO

A. Há fundamentalmente dois termos legais hebraicos que expressam este conceito.

1. Ga’al (BDB 145 I, KB 169 I), que basicamente significa "libertar por meio de um preço pago”. Uma forma do termo go’el acrescenta ao conceito um intermediário pessoal, geralmente um membro da família (e.e., parente remidor). Este aspecto cultural do direito para comprar de volta objetos, animais, terra (cf. Levítico 25, 27), ou parentes (cf. Rute 4.14; Is 29.22) é transferido teologicamente à libertação de Israel do Egito (cf. Êx 6.6; 15.13; Sl 74.2; 77.15; Jr 31.11). Ele Se torna "o redentor” (cf. Jó 19.25; Sl 19.14; 78.35; Pv 23.1; Is 41.14; 43.14; 44.6, 24; 47.4; 48.17; 49.7, 26; 54.5, 8; 59.20; 60.16; 63.16; Jr 50.34).

2. Padah (BDB 804), que basicamente significa "libertar” ou "resgatar”

a. a redenção do primogênito (Êx 13.13, 14 e Nm 18.15-17)

b. redenção física é contrastada com redenção espiritual (Sl 49.7, 8, 15)

c. YHWH redimirá Israel de seu pecado e rebelião (Sl 130.7, 8)

B. O conceito teológico envolve vários itens relacionados.

1. Há uma necessidade, uma servidão, uma penalidade, uma prisão.

a. física

b. social

c. espiritual (cf. Sl 130.8)

2. Um preço deve ser pago pela liberdade, libertação e restauração.

a. da nação de Israel (cf. Dt 7.8)

b. do indivíduo (cf. Jó 19.25-27; 33.28; Isa. 53)

3. Alguém deve atuar como um intermediário e benfeitor. Em ga’al este é geralmente um membro da família ou parente próximo (i.e., go’el, BDB 145).

4. YHWH muitas vezes Se descreve em termos familiares.

a. Pai

b. Esposo

c. Parente Próximo Remidor/vingador

Redenção era assegurada através da agência pessoal de YHWH; um preço era pago e a redenção era obtida!

II. NOVO TESTAMENTO

A. Há vários termos usados para expressar o conceito teológico.

1. Agorazō (cf. I Co 6.20; 7.23; II Pe 2.1; Ap 5.9; 14.3, 4). Este é um termo comercial que reflete um preço pago por algo. Nós somos pessoas compradas por sangue que não controlamos nossas próprias vidas. Nós pertencemos a Cristo.

2. Exagorazō (cf. Gl 3.13; 4.5; Ef 5.16; Cl 4.5). Este é também um termo comercial. Reflete a morte substitutiva de Jesus em nosso lugar. Jesus levou a "maldição” de uma lei baseada no desempenho (i.e., Lei Mosaica. Cf. Ef 2.14-16; Cl 2.14), que os seres humanos pecadores não poderiam realizar. Ele levou a maldição (cf. Dt 21.23) por nós todos (cf. Marcos 10.45; II Co 5.21)! Em Jesus, a justiça e o amor de Deus fundem-se em perdão, aceitação e acesso plenos!

3. Luō, "libertar”

a. Lutron, "um preço pago” (cf. Mt 20.28; Marcos 10.45). Estas são palavras poderosas da própria boca de Jesus a respeito do propósito de Sua vinda, para ser o Salvador do mundo pagando uma dívida do pecado que Ele não devia (cf. João 1.29).

b. Lutroō, "libertar”

(1) remir Israel (Lucas 24.21)

(2) dar-Se para remir e purificar um povo (Tito 2.14)

(3) para ser um substituto sem pecado (I Pe 1.18, 19)

c. Lutrōsis, "redenção”, "salvação” ou "libertação”

(1) profecia de Zacarias sobre Jesus, Lucas 1.68

(2) louvor de Ana a Deus por Jesus, Lucas 2.38

(3) sacrifício melhor de Jesus, uma vez oferecido, Hb 9.12

4. Apolytrōsis

a. redenção na Segunda Vinda (cf. Atos 3.19-21)

(1) Lucas 21.28

(2) Romanos 8.23

(3) Efésios 1.14; 4.30

(4) Hebreus 9.15

b. redenção na morte de Cristo

(1) Romanos 3.24

(2) I Coríntios 1.30

(3) Efésios 1.7

(4) Colossenses 1.14

5. Antilytron (cf. I Tm 2.6). Este é um texto crucial (como é Tito 2.14) que vincula libertação à morte substitutiva de Jesus na cruz. Ele é o único sacrifício aceitável, o único que morre por "todos” (cf. João 1.29; 3.16, 17; 4.42; I Tm 2.4; 4.10; Tito 2.11; II Pe 3.9; I João 2.2; 4.14).

B. O conceito teológico no NT.

1. A humanidade está escravizada ao pecado (cf. João 8.34; Rm 3.10-18; 6.23)

2. A servidão da humanidade ao pecado tem sido revelada pela Lei Mosaica do AT (cf. Gálatas 3) e o Sermão do Monte de Jesus (cf. Mateus 5-7). O desempenho humano tem se tornado uma sentença de morte (cf. Cl 2.14)

3. Jesus, o cordeiro de Deus sem pecado, veio e morreu em nosso lugar (cf. João 1.29; II Co 5.21). Nós fomos comprados do pecado de modo que nós possamos servir a Deus (cf. Romanos 6).

4. Por implicação tanto YHWH quanto Jesus são "parente próximo” que atuam em nosso benefício. Isto continua as metáforas familiares (i.e., pai, esposo, filho, irmão, parente próximo).

5. Redenção não foi um preço pago para Satanás (i.e., teologia medieval), mas a reconciliação da palavra de Deus e justiça de Deus com o amor e provisão plena de Deus em Cristo. Na cruz a paz foi restaurada, a rebelião humana foi perdoada, a imagem de Deus na humanidade é agora plenamente funcional novamente num relacionamento íntimo!

6. Há ainda um aspecto futuro de redenção (cf. Rm 8.23; Ef 1.14; 4.30), que envolve a ressurreição dos nossos corpos e intimidade pessoal com o Deus Triúno (veja Tópico Especial: A Trindade). Nossos corpos ressurretos serão como o dEle (cf. I João 3.2). Ele tinha um corpo físico, mas com um aspecto extradimensional. É difícil definir o paradoxo de I Co 15.12-19 com I Co 15.35-58. Obviamente há um corpo físico, terreno e haverá um corpo celestial, espiritual. Jesus tinha ambos!